Arquivo da categoria ‘TV’

José Dirceu e José de Abreu / Foto: Michel Filho / Arquivo O Globo

José Dirceu e José de Abreu / Foto: Michel Filho / Arquivo O Globo

Viva a hipocrisia! Parabéns, feministas! Vocês idolatram esquerdistas que sempre foram o ápice do machismo, como o “amado” Che e ouviram calado Lula falar sobre o “grelo duro” de vocês, mas quando alguém de direita comenta qualquer coisa ambígua, vocês viram gente de verdade.

Agora, o Zé de Abreu numa discussão política cuspiu em um casal, inclusive na cara de uma mulher. Vão dizer que é brincadeira igual aquela Maria do Rosário fez com o Lula? 

Zé de Abreu, você e seus amiguinhos gostaram do PT depois da Lei Rouanet. Sua ideologia não te transforma em um porco, mas copiar o ato de Jean Wyllys, isso sim, me faz crer o quão escroto és. No mais, ainda aguardando a posição das feministas.

@lucascanosa

Anúncios

O SBT é, certamente, a emissora que mais possui personagens guardados na memória dos telespectadores na história da televisão brasileira. Existem pessoas que sempre terão seus nomes vinculados à determinada coisa ou lugar. Neste caso, montamos uma lista de 50 profissionais bem-sucedidos na carreira artística, que devem tudo, ou quase tudo à TV do Anhanguera.

50º lugar – Goulart de Andrade

Divulgação: TV Gazeta

Divulgação: TV Gazeta

Dono do tradicional bordão “Vem Comigo” e afilhado da cantora Carmem Miranda, Goulart de Andrade fez sucesso no SBT na década de 80 comandando o jornalístico “Eu Sou o Repórter”. Retornou à emissora em 2009 para fazer grandes reportagens e desde 2012 trabalha na TV Gazeta.

49º – Bianca Rinaldi

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Atualmente na Rede Globo, Bianca Rinaldi ficou por quase uma década no SBT, fazendo grande sucesso em novelas como “Pícara Sonhadora” e “Pequena Travessa”. A atriz foi uma das primeiras queridinhas do patrão Silvio Santos. Se transferiu para a Record posteriormente.

48º – Celso Russomano

celso russomano

Famoso pela defesa do consumidor, Celso Russomano foi um dos pilares do “Aqui Agora”, programa jornalístico que incomodava a Rede Globo no começo dos anos 90. Celso chegou a participar de uma segunda versão da atração há alguns anos, porém sem o mesmo sucesso. 

47º – Bárbara Paz

barbara paz

A atriz de 40 anos ficou famosa em 2001, quando venceu a primeira edição da Casa dos Artistas, sucesso de audiência no SBT. Depois, virou uma das estrelas favoritas de Silvio Santos, ganhando papel de protagonista em três novelas da emissora. Em 2008 se transferiu para a Rede Globo.

46º – Carlinhos Aguiar

carlinhos aguiar e silvio santos

Carlinhos raramente era destaque nas pegadinhas do “Topa Tudo Por Dinheiro”, mas sempre se fazia presente nelas. Ainda na década de 80 foi jurado do “Show de Calouros”, apresentador na CNT e na RedeTV!. Retornou ao SBT em 2008 para participar do “Programa Silvio Santos”, além de atuar em “Carrossel” e “Patrulha Salvadora”.

45º – Marcelo de Nóbrega

marcelo de nobrega

Neto de Manoel e filho de Carlos Alberto, Marcelo de Nóbrega, diretor de “A Praça é Nossa” tem a função de levar à frente o sucesso do programa, exibido há mais de meio século na televisão. Dirigiu também a “Escolinha do Golias” por mais de sete anos.

44º – Belinda Peregrín

belinda

Não foram só os brasileiros que fizeram sucesso no SBT. Pelo contrário, as famosas novelas mexicanas renderam grandes frutos para a emissora. Os atores não possuem contrato com a TV brasileira, porém, mesmo assim, possuem grande vínculo com o nosso público devido à empresa de Silvio Santos. Belinda é o primeiro caso citado. Ela foi protagonista de “Amigos para Sempre”, “Camaleones” e “Cúmplices de um Resgate”, todas marcando boa audiência, especialmente a última, que foi uma febre no país. 

43º – Gibe

gibe

Gilberto Fernandes, conhecido nacionalmente como Gibe, chegou ao SBT nos anos 80 para viver o Papai Papudo do programa “Bozo”. Já na década de 90, foi um dos principais atores das pegadinhas exibidas no “Topa Tudo Por Dinheiro”. Ficou na emissora até 2002, quando foi para a Globo trabalhar com Renato Aragão. Morreu em 2010 aos 75 anos. 

42º – Antônio Petrin

antonio petrin

Antônio Petrin é um dos grandes nomes da dramaturgia brasileira e um dos homens de maior ligação com o SBT. Lá, ele fez nada menos que dez novelas, dentre elas, os sucessos “Éramos Seis” e “Esmeralda” e as recentes “Amor e Revolução” e “Vende-se um Véu de Noiva”. Petrin chegou a participar do “Nada Além da Verdade”, conduzido por Silvio Santos, no entanto não levou o grande prêmio para casa.

41º – Daniela Luján

daniela lujan

A bela mexicana de 26 anos é mais uma estrangeira que fez enorme sucesso na tela do SBT. Começou ainda em 1997 com a exibição de Luz Clarita, um enorme retorno de audiência. Depois, participou de tramas como “Gotinhas de Amor”, “Cúmplices de um Resgate” e “O Diário de Daniela”, além de uma pequena participação em “Rebelde”.

40º – Canarinho

canarinho sbt

Aloísio Ferreira Nunes, famoso por fazer um malandro no humorístico, o Canarinho, de “A Praça é Nossa”, trabalhou no SBT de 1987 a 2014, quando sofreu um infarto agudo do miocárdio e veio a falecer. Amigo pessoal de Carlos Alberto de Nóbrega e Silvio Santos, ele era um dos mais preocupados com o programa, e sempre ligava ao dono do banco para saber a audiência da atração.

39º – Joseval Peixoto

(Crédito: Roberto Nemanis SBT)

(Crédito: Roberto Nemanis SBT)

Joseval Peixoto encontrou o SBT no início dos anos 2000 por conta da grande admiração de Silvio Santos pelo jornalismo da Jovem Pan. Foi assim que chegaram outros nomes, como Denise Campos de Toledo, Carlos Chagas, José Nêumane Pinto e Bruno Vicari. Atualmente, divide a bancada do “SBT Brasil” com Rachel Sheherazade e Carlos Nascimento.

38º – Carlos Nascimento

carlos_nascimento_jornal_sbt

Carlos Nascimento chegou ao Anhanguera em 2006, já consagrado pelas passagens por Globo e Band. No SBT, ancorou os principais telejornais da casa e foi editor-chefe do “SBT Brasil”. Apresentou também debates eleitorais e o prêmio “O Maior Brasileiro de Todos os Tempos”. É extremamente grato a Silvio Santos, que mandou renovar seu contrato, mesmo com um câncer colorretal, descoberto em 2013. Hoje, Nascimento é um dos comandantes do principal jornal da emissora.

37º – Ruth Romcy

ruth romcy

Conhecida como “Rainha das pegadinhas”, Ruth Romcy se consolidou no cenário nacional após as participações no “Topa Tudo Por Dinheiro”. Fazia pontas também no extinto seriado “Comando Maluco”, feito em parceria com Beto Carrero, que contava também com Dedé Santana e Faxinildo, além, claro de Durão, Bananinha e Rapadura, já integrantes da turma.

36º – Rogério Marcico

rogerio marcico

Uma lenda da dramaturgia brasileira tem forte ligação com o SBT. Rogério Márcico fez inúmeras novelas na casa, na maioria delas com papel de grande destaque, como o empresário “Dr. José Ricardo” e ainda a sua interpretação do vilão “Pereirinha” em “As Pupilas do Senhor Reitor”, sucesso de 1996. O trabalho mais recente de Márcico na emissora foi Augusto Fiel em “Amor e Revolução”.

35º – Thalía

thalia

Mais uma mexicana de sucesso no Brasil graças ao SBT, Thalía é sempre ovacionada quando vem ao país, não só pelas atuações em Marimar, Maria do Bairro, Maria Mercedes e Rosalinda, todas exibidas pela emissora, mas também pela carreira musical de sucesso que ela possui.

34º – Roberto Cabrini

Foto: Divulgação SBT

Foto: Divulgação SBT

Roberto Cabrini vive hoje a sua segunda passagem pelo SBT. Na primeira, no início dos anos 90, já fazia grandes reportagens com um estilo único. O sucesso despertou interesse da Rede Globo, onde noticiou a morte de Ayrton Senna. Voltou ao SBT em 2009 para apresentar o “Conexão Repórter” e quando não é primeiro, é segundo lugar garantido em audiência.

33º – Flor

flor sbt

 

Florina Fernandes, mais conhecida como “Flor”, iniciou no SBT em 1984, no “Caldeirão da Sorte”, mas ganhou fama como jurada no Show de Calouros. Ficou na emissora até 2000, quando amargou uma longa geladeira de sete anos, até voltar à televisão pela TV Jornal. Em 2011, retornou ao Anhanguera, onde participa do “Jogo dos Pontinhos”, do Programa Silvio Santos.

32º – Nilton Travesso

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Nilton Travesso foi o diretor de dramaturgia na era de ouro das novelas do SBT. Durante os anos 90, esteve à frente de “Éramos Seis”, “As Pupilas do Senhor Reitor”, “Ossos do Barão”, entre outras. Também dirigiu o “Charme” de Adriane Galisteu, na mesma emissora. Atualmente tem parceria com Ronnie Von, no “Todo Seu”, da TV Gazeta.

31º – Gil Gomes

gil gomes

Gil Gomes ficou por apenas 6 anos no SBT. Contudo, mais do que suficientes para o reconhecimento do jornalista em todo o Brasil. As camisas coloridas e a voz marcante narrando os casos fizeram dele um sucesso nacional como um dos comandantes do “Aqui Agora”, várias vezes primeiro lugar de audiência.

30º – Décio Piccinini

decio piccinini

O jornalista conhecido pelo mau humor foi um dos pilares no auge do “Show de Calouros”, comandado por Silvio Santos nos anos 80. Depois, Décio chegou a dirigir revistas de expressão, como “Contigo” e “Chiques e Famosos”. Contudo, nunca deixou de fazer participações especiais no SBT, especialmente no Troféu Imprensa. Atualmente, ao lado de Nadja Haddad, Pedro Manso, Arnaldo Saccomani e Leão Lobo, é um dos jurados do “Programa do Ratinho”.

29º – Otávio Mesquita

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

O guarulhense de 55 anos comandou no SBT “Perfil”, “Fantasia”, “Programa Livre” e “Tempo de Alegria”, além do quadro “Bom Dia Legal”, quando acordava famosos inesperadamente em suas casas. Em 2000, após 7 anos na emissora, foi para a RedeTV!, e depois para a Band. Retornou ao SBT em 2014 com o “Okay, Pessoal”, garantindo sempre primeiro ou segundo lugar no IBOPE.

28º – Valentino Guzzo

valentino guzzo

Valentino foi um produtor de televisão que dedicou parte de sua vida ao SBT. Além de ser a Vovó Mafalda, do programa “Bozo” e apresentar as atrações Dó Ré Mi, Sessão Desenho e Sessão Desenho no Sítio da Vovó, ele produziu Bibi Ferreira, Silvio Santos, Chacrinha, Flávio Cavalcanti, Raul Gil, Bolinha e Ratinho, onde era responsável pelos musicais e pelas cenas de humor. Suas filhas, Vanessa e Beth também seguem o caminho do pai, a primeira foi produtora de Carlos Massa por muitos anos e a segunda ainda trabalha no programa.

27º – Marília Gabriela

(Crédito: Carol Soares/SBT)

(Crédito: Carol Soares/SBT)

Marília Gabriela Baston de Toledo, também conhecida como Gabi, tem passagens por quase todas as mídias televisivas, mas em nenhuma conseguiu tanta identificação como no SBT. Desde 2010, a jornalista faz a terceira passagem da pela emissora, onde esteve de 1996 à 2000, de 2002 à 2004.  

26º – Liminha

carlos villagran e liminha

O apelido é um diminutivo de seu sobrenome: ele se chama Ailton Sampaio Lima. Trabalha há décadas no SBT, fazendo muito sucesso ao lado de Gugu, até o loiro se transferir para a Record e Silvio Santos adotá-lo como assistente de palco.

25º – Serginho Groisman

Foto: Reprodução / SBT

Foto: Reprodução / SBT

Contratado junto à TV Cultura em 1991, Serginho Groisman foi para o SBT levando junto o formato do “Matéria Prima”, programa que apresentava na emissora do governo paulista. Hoje, comanda o “Altas Horas” na Rede Globo. Ficou durante 9 anos de sucesso à frente do “Programa Livre”, sucesso de audiência na TV de Silvio Santos.

24º – Ivo Holanda

Foto: André Giorgi

Foto: André Giorgi

Famoso principalmente por suas participações em pegadinhas do Programa Silvio Santos e Topa Tudo por Dinheiro nas décadas de 80 e 90, Ivo cansou de apanhar nas gravações dos esquetes, e chegou a ser dispensado do SBT por três vezes. Agora, prestes a completar 80 anos, ganhou um contrato vitalício com a emissora. “Ninguém me demite mais”, comemora.

23º – Flávio Cavalcanti

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Flávio Cavalcanti chegou ao SBT em 1983 para comandar o programa que tinha seu nome. Fez enorme sucesso até o dia 22 de maio de 1986, o apresentador fez uma rápida entrevista em seu programa e jogou o dedo indicador para o alto: “Nossos comerciais, por favor!” O intervalo acabou e ele não estava mais lá. Tinha sofrido uma isquemia miocárdica aguda durante a apresentação do programa. Levado para o hospital, ele morreria quatro dias depois. No dia da sua morte, o SBT ficou fora do ar o dia inteiro em sinal de luto, apenas rodando um slide com os dizeres: “Estamos tristes com a morte do nosso colega Flávio Cavalcanti que será sepultado hoje em Petrópolis às 16 horas, quando então voltaremos com a programação normal.” A emissora voltou ao ar depois das 16:00 quando o corpo do apresentador foi sepultado. É visto por muitos como um dos maiores comunicadores da história da televisão, ao lado de Raul Gil, Chacrinha, Silvio Santos e Hebe.

22º – Raul Gil

Foto: Ronaldo Barreto/BDI

Foto: Ronaldo Barreto/BDI

O maior apresentador de calouros da história do país, também tem uma bela relação com o SBT. Ele esteve na emissora na década de 80 fazendo sucesso e desde 2010, Raul Gil vive a segunda passagem pela empresa. Seu tradicional programa só não esteve na Globo e na RedeTV!.  É tio do humorista Marquito, também contratado do SBT.

21º – Atayde Patreze

Ataíde Patreze

O socialite, morto em 2006 após doar um rim ao filho e não encontrar um doador compatível à seu outro, que apresentou problema, iniciou na televisão nos anos 70 como auxiliar de Silvio Santos, com quem trabalhou posteriormente no SBT, apresentando Athayde Patreze Repórter e Ricos e Famosos. No final de sua vida, trabalhava na TV Comunitária de São Paulo.

20º – Jô Soares

(Foto: TV Globo/Programa do Jô)

(Foto: TV Globo/Programa do Jô)

Um dos maiores humoristas do Brasil chegou ao SBT, quando Silvio o tirou da Globo para estrelar o “Viva o Gordo”, e depois, “Jô Soares onze e meia”, que marcou época na emissora por mais de dez anos. Em 2000, Jô voltou à TV de Roberto Marinho.

19º – Mara Maravilha

mara maravilha

Aos oito anos, Mara já apresentava a versão local do Clube do Mickey pela TV Itapoan, então emissora afiliada ao SBT para todo o estado da Bahia. Mara ganhou a atenção do apresentador e empresário Silvio Santos. A convite dele, ela mudou-se para São Paulo aos 15 anos de idade, onde estreou em rede nacional com programas voltados para o público adolescente e adulto, e integrando também o júri do Show de Calouros de Silvio Santos por pelo menos três anos. Na emissora paulista, Mara apresentou o TV Pow , a Sessão Premiada, o programa O Preço Certo e foi também repórter do programa Viva a Noite, do apresentador Augusto Liberato.

18º – Roque

roque sbt

Nos anos 50, aos 16 anos, veio para São Paulo e arrumou um emprego na Rádio Nacional, ajudando na portaria, entregando cartas e fazendo cobranças. Lá, conheceu um rapaz que estava começando sua carreira de locutor de anúncios, Silvio Santos. Gonçalo Roque está no SBT desde o início da emissora, sempre ao lado de Silvio Santos, de quem falou que só vai se separar em seu último programa.

17º – Pedro de Lara

pedro de lara

Considerado por muitos o maior jurado da TV brasileira, Pedro de Lara começou a trabalhar com Silvio Santos ainda na década de 70. Depois disso, dedicou praticamente todo o tempo que tinha aos programas do SBT. Pouco antes de morrer, Pedro de Lara lançou o Livro da Sabedoria, que contém pensamentos como “Todo pai corujão faz do seu filho um bobão” e “Na vida tem que ter estilo, quem não tem, não é isso nem aquilo”.

16º – Boris Casoy

boris casoy

Aos 47 anos, o então editor chefe da Folha de SP deixou o cargo em um dos principais jornais do país para ser protagonista de uma aposta de Silvio Santos, o “TJ Brasil”. Boris Casoy ancorou o jornal por 9 anos, quando deixou o SBT rumo à Record. O “TJ” foi um sucesso tão grande, que até mesmo a Rede Globo foi influenciada pelo novo padrão de jornalismo televisivo que a emissora do Anhanguera importou.

15º – Sérgio Mallandro

Foto: Divulgação / Multishow

Foto: Divulgação / Multishow

Sérgio Mallandro é outro que deve muito ao SBT. O humorista chegou à emissora praticamente no momento da fundação, no começo dos anos 80. Fez grande sucesso apresentando o “Oradukapeta”, principalmente com o quadro “Porta dos Desesperados”. Além disso, Mallandro ficou por mais de dez anos como jurado do “Show de Calouros” e ganhou cinco troféus imprensa enquanto esteve com Silvio Santos.

14º – Christina Rocha

casos de familia - christina rocha

A divertida Maria Christina Lima Cairo Zixa Corria Corrêa da Rocha, apresentadora do “Casos de Família”,  não tinha esse perfil quando chegou ao SBT, especialmente quando era uma das âncoras de “O Povo na TV”, programa de grande audiência nos anos 80. Ficou no SBT até 2001, quando se transferiu para a Gazeta. Contudo, voltou em 2008 e não saiu mais.

13º – Lombardi

lombardi

Lombardi trabalhou com Silvio Santos por ininterruptos 40 anos, e só parou porque um infarto agudo o levou à morte em 2009. Ele era um dos melhores amigos do patrão, além claro, de um grande colega de trabalho. Para muitos, não existirá jamais melhor locutor que ele na televisão.

12º – Hermano Henning

Hermano Henning

O simpático jornalista chegou ao SBT em 1989, já consagrado após dez anos como correspondente internacional da Globo na Europa. Segurou por muitos anos o jornalismo do SBT praticamente sozinho, apresentando todos os produtos do setor na casa, e, detalhe, incomodando, e muito, a Rede Globo.

11º – Luís Ricardo

Foto: BDI

Foto: BDI

Considerado por muitos como sucessor de Silvio Santos, por ser o braço direito dele na emissora, Luís Ricardo também chegou ao SBT ainda nos anos 80. Foi jurado do “Show de Calouros” e um dos mais marcantes intérpretes do palhaço Bozo. Comandou também o “Gol Show” e o “Roda a Roda”. 

10º – Eliana

Foto: Divulgação / SBT

Foto: Divulgação / SBT

Em 1990, foi convidada por Gugu para integrar o grupo Banana Split, sempre presente nos programas do SBT, e foi em um deles, o “Qual é a Música”, em 1990, que Silvio se encantou pelo talento da loira com então 18 anos e deu a ela a apresentação do “Festolândia”, que saiu do ar pelo alto custo. Eliana passou a apresentar o “Sessão Desenho”, onde aparecia somente da cintura pra cima, também pela falta de condições da emissora para construir um cenário maior.  No “Bom dia & Cia”, ganhou destaque nacional, principalmente após o sucesso da música “Os Dedinhos”. Em 1997, se transferiu para a Record, onde ficou até 2009, quando retornou ao SBT e ganhou um dominical com o seu nome.

9º – Moacyr Franco

moacyr franco

Ator, cantor, escritor, autor e humorista, o talentoso Moacyr Franco surgiu em 1960, já trabalhando com Manoel e Carlos Alberto de Nóbrega na “Praça da Alegria”. Ganhou mais de 40 discos de ouro como cantor e tem canções gravadas por diversos artistas do primeiro nível nacional. No SBT, fez sucesso com “Pequenos Brilhantes”, “Ó Coitado” e “Meu Cunhado”, seriado que chegou a bater a Rede Globo. Há mais de dez anos interpreta o personagem Jeca Gay na “Praça”.

8º – Celso Portiolli

Foto: Divulgação/SBT

Foto: Divulgação/SBT

Celso Portiolli começou no SBT em 1993 como redator das pegadinhas do “Topa Tudo Por Dinheiro”. Depois, passou a participar dos quadros como ator, chamando atenção de Silvio Santos, que deu a ele a chance de apresentar o “Passa ou Repassa”, primeiro lugar de audiência. Ele mesmo brinca que já comandou mais de dez programas pela casa, e é verdade. Portiolli está desde 2009, após a saída de Gugu Liberato, como âncora do “Domingo Legal”.

7º – Ronald Golias

 ronald golias

O genial Golias chegou ao SBT em 1990 para integrar o elenco de “A Praça é Nossa” e, impressionantemente, fez sucesso com todos os personagens, Bronco, Pacífico, o profeta e Professor Bartolomeu. Amigo pessoal de Carlos Alberto de Nóbrega e Silvio Santos e dono de um talento único, ganhou dois programas na emissora: Escolinha do Golias, ao lado de Nair Bello e o próprio Carlos, além de “Meu Cunhado”, ao lado de Moacyr Franco. Morreu em 2005, vítima de uma infecção pulmonar.

6º – Ratinho

Foto: Reprodução/SBT

Foto: Reprodução/SBT

Dono de um estilo cômico e forte temperamento, Ratinho fez sucesso no Paraná, depois, já em São Paulo, na CNT e na Record e foi contratado por Silvio Santos em 1998. Ganhou destaque nacional, atingindo a liderança diariamente após o fim da novela da Globo. É um dos comunicadores que mais gostam do SBT, chegando a dizer que “Nem se o Silvio o mandar embora, ele sai”.

5º – Roberto Gomes Bolaños

Bolaños em entrevista ao Programa do Ratinho / Foto: Divulgação - SBT

Bolaños em entrevista ao Programa do Ratinho / Foto: Divulgação – SBT

Roberto Gomes Bolanõs é o primeiro colocado na lista de estrangeiros do SBT. Embora não tenha um contrato direto com a emissora, suas séries, Chaves e Chapolin, produzidas no México, são os maiores coringas da programação, sempre marcando excepcional audiência. A adoração do público brasileiro pelo garoto de 8 anos, inicialmente exibido como esquete no programa do Bozo, há 30 anos atrás, criou um fenômeno. Chaves está até hoje no ar, sempre marcando boa audiência e com grande espaço na grade.

4º – Gugu

daniboy e gugu

Começou na televisão aos quatorze anos como assistente de produção do programa Domingo no Parque, apresentado por Silvio Santos. Em 1981, logo no começo da TVS, ele já apresentava a “Sessão Premiada Paulista”, mas foi no “Viva a Noite”, que ganhou projeção nacional com excelentes números de audiência. Visto por muitos como sucessor de Silvio Santos, ele deixou o comando “Domingo Legal” e a emissora após 28 anos, se transferindo para a TV Record.

3º – Hebe

hebe camargo

A história de Hebe Camargo, já muito rica, ganhou um capítulo marcante em 1986: o SBT. Amiga de Silvio Santos, ela chegou às terças, depois, aos domingos, mas consolidou as segundas-feiras como o dia da Hebe. Fez dois especiais do espetáculo “Romeu e Julieta” na emissora, contando com nomes como Tiririca, Ratinho, Marília Gabriela, Agnaldo Rayol, Carlos Alberto de Nóbrega, Nair Bello e Ronald Golias. Unanimidade como maior apresentadora da história do país, ela ficou com seu confortável sofá até 2010 na empresa. Se transferiu para a RedeTV!, e acertou o retorno à TV do Anhanguera em 2012, porém não conseguiu reestrear. Hebe morreu vítima de um câncer em 29 de setembro do mesmo ano. Sua última mensagem no Twitter, poucos dias antes do óbito, destacava a alegria com o acordo.”Estou de volta ao SBT. Muito feliz”, destacou. A rainha da televisão brasileira também trouxe, ao lado de Silvio, o Teleton para o Brasil, sendo a madrinha do evento.

2º – Carlos Alberto de Nóbrega

Grandes humoristas que fizeram "A Praça" já se foram / Divulgação SBT

Grandes humoristas que fizeram “A Praça” já se foram / Divulgação SBT

A história de Carlos Alberto de Nóbrega se confunde com a do SBT. Seu pai, Manoel, amigo pessoal de Silvio Santos, lhe transferiu uma grande responsabilidade: continuar no comando do maior programa da TV brasileira. Ele o fez, o fez tão bem quanto Manoel. Chegou ao SBT ainda no começo da emissora, foi diretor artístico, participou de especiais como o remake de Chaves e “SBT Palace Hotel”, além de ser o professor na “Escolinha do Golias”. A Praça, ainda hoje apresentada por Carlos, é o programa com mais tempo no ar na televisão.

1º – Silvio Santos

Silvio Santos / Foto: SBT

Silvio Santos / Foto: SBT

O patrão também é um funcionário da emissora, onde tem que bater cartão quase diariamente para administrar e gravar seus programas de sucesso. Silvio, o maior animador da televisão nacional criou o SBT em 1981, ainda com nome de TVS, apresentou inúmeros programas, com destaque para “Topa Tudo Por Dinheiro”, “Em Nome do Amor”, “Show do Milhão” e “Qual é a Música”.

@LucasCanosa

Impressionante a capacidade da Band (ou a falta dela) em transformar um programa com duas horas de duração em algo tão curto mal aproveitado. O “Jogo Aberto”, programa esportivo diário com boa audiência deveria ser melhor aproveitado pela emissora.

O boletim começa com uma chamada extremamente longa, e, no final dela, a apresentadora já chama o primeiro intervalo. Depois, eles se repetem constantemente, todos com duração média de impressionantes 6 minutos, algo extremamente desanimador e desagradável. E pior, são religiosamente veiculados após um merchandising, ou seja, sempre que existir anúncio de algum produto, em seguida, vem o break. O espectador, nada bobo, já sabe disso e antes mesmo do merchan, obviamente troca de canal, fazendo com que os anunciantes da atração gastem dinheiro à toa. Tanto se reclama do tempo de bola rolando em uma partida de futebol que tem 90 minutos, onde o jogo mesmo dura 50 0u 55 minutos, mas para efeito de comparação, o esportivo não fica atrás: não passa de uma hora de programa, de fato – ocupando duas na grade de programação. Atenção, Bandeirantes: dinheiro não é tudo!

Denilson e Renata Fan brincando durante o programa / Foto: Divulgação - Band

No que tange aos integrantes, são todos bons, embora falte um especialista em arbitragem, que poderia ser o Godoy, tanto Renata Fan (apresentadora fixa), quanto Patrícia Maldonado ou Paloma Tocci (folguistas), são boas no comando. Os comentaristas, também não ficam para trás, destacando especialmente Paulo Roberto Martins, sempre mais contido e lúcido e Denilson, brincalhão e dono de um carisma único. No mais, de quando em vez alguma forçação de barra desnecessária para cravar um barraco ou um parcialismo muito grande, especialmente de Renata, que pode ser contornado.

Entende-se que o programa tem uma veia cômica muito forte, lembrando o Debate Bola, apresentado por Milton Neves no início dos anos 2000 na TV Record. É o diferencial e deve ser sim, explorado ao máximo. Todavia, às vezes, não entende-se o que se fala, porque todo mundo quer falar ao mesmo tempo e vira uma baderna. Por fim, por que será que a apresentadora e Denilson entram às 11h e os demais somente às 12:30? Permanecendo somente meia-hora no ar – descontando mais dois comerciais de 6 minutos – 18 minutos.

A Band tem uma série de talentos em mãos, e, como sempre, pouco sabe aproveitar. Faz isso com Bacci, fez isso com Claudete, com Silvio Luiz, com humoristas do “CQC” e agora desperdiça um de seus melhores produtos. Uma pena!

@LucasCanosa

dilma roussef pt

O problema da monótona interpretação política do brasileiro começa no ensino médio, em que os alunos são ensinados pelos professores, em regra, o verdadeiro significado do socialismo, aquela coisa bonita criada por Karl Marx, que hoje certamente se revira no túmulo, vendo para que o seu nome é usado.

O estudante chega à universidade sabendo que existem dois caminhos: o do bem, da esquerda, das campanhas sociais e tudo mais, e o do mal, envolvendo os ditadores, nazistas e conservadores. No Brasil, é quase uma heresia se declarar de direita, onde, à todo tempo, é necessário provar que você não bate em crianças e idosos e não maltrata cachorrinhos.

Vamos estudar. Vamos questionar. Quem escuta e não questiona é uma pessoa manipulada, amigos.

@LucasCanosa

O Teleton que ninguém conhece

Publicado: 7 de dezembro de 2014 em textos, TV
Tags:, ,
Nanácio e a companheira da perna de pau / Foto: Ronaldo Barreto - BDI

Nanácio e a companheira da perna de pau / Foto: Ronaldo Barreto – BDI

O Teleton é um evento solidário que reúne várias celebridades em prol de uma causa social.  O que as pessoas não imaginam é a existência de anônimos nos bastidores que são essenciais para o sucesso da atração. Enquanto os famosos se apresentam no palco do SBT, artistas de rua, palhaços e músicos fazem a alegria das crianças na área externa do complexo da Anhanguera.

Foto: Ronaldo Barreto - BDI

Crianças e adultos se divertiam na tenda montada no estacionamento / Foto: Ronaldo Barreto – BDI

Voluntários como Nanácio Naneta da companhia Fantasy, abrem mão do cachê em troca de sorrisos e boas histórias para guardar na memória. Nanácio diz que se alegra em trabalhar com crianças e, que algumas, em especial, o emocionam bastante, assim como um garoto que estava no evento “Teve um menininho que andava muito rápido na cadeira de rodas. Ele estava muito feliz. Isso me comoveu”.

palhaço1

Por outro lado, o palhaço Gegê, vivido por Edson Thiago, da companhia Absurda, não encara a emoção contida em apenas um personagem.  Para ele,  a causa em si é cativante,  “Como um dos apresentadores do evento externo, eu me comovo de forma geral, são várias histórias numa só”. Engana-se, aliás,  quem pensa que voluntário não se prepara, “Estou ensaiando há 4 semanas só para estar aqui”, conclui.

Crianças posando para a câmera / Foto: Ronaldo Barreto - BDI

Crianças posando para a câmera / Foto: Ronaldo Barreto – BDI

Assim como existe união entre emissoras concorrentes na produção do Teleton, o “lado b” do evento reúne empresas de animação para entreter o público presente. Entreter também é o trabalho de Marquito, humorista do programa do Ratinho, que assistia ao show dos palhaços na tenda montada no estacionamento do SBT.

Marquito em entrevista exclusiva ao BDI / Foto: Ronaldo Barreto - BDI

Marquito em entrevista exclusiva ao BDI / Foto: Ronaldo Barreto – BDI

Vereador e autor do projeto de lei que visa a implantação de circo-escolas nos bairros periféricos da cidade de São Paulo, Marquito ressaltou a importância da participação de anônimos na construção do Teleton, “É essencial. Sem a participação dessas pessoas, o Teleton não seria esse grande evento”, afirmou.

Desfile de moda com as crianças da AACD no pátio da emissora / Foto: Ronaldo Barreto - BDI

Desfile de moda com as crianças da AACD no pátio da emissora / Foto: Ronaldo Barreto – BDI

Demonstrações como as que vimos hoje, de artistas que mesmo não aparecendo em frente às câmeras se doam ao máximo por uma campanha tão nobre e bonita que é a festa da solidariedade promovida pelas instituições em parceria com a AACD, impressionam tanto ou até mais do que os famosos participantes do evento, que sim, contribuem e muito para o resultado final, mas já estão acostumados com aplausos. Por isso, nossa salva de palmas, desta vez, vai para esses guerreiros que com pequenos gestos, fazem tão bem para sociedade.

Teleton

Teleton

Por: Bárbara Saryne e Lucas Canosa

Valeu, Chespirito!

Publicado: 29 de novembro de 2014 em Humor, textos, TV
Tags:, ,

Sou contra o endeusamento após a morte. Acho hipócrita e injusto, até com o próprio morto, que não recebe homenagens quando vivo. Por isso, tanto me arrependo de não ter homenageado alguém como Bolaños antes. Cometi um erro, mesmo tendo todos os livros, fotos e sendo, aos 22 anos, declaradamente fã de Chaves. Entretanto, não poderia deixar de agradecer, visto que ainda hoje me faz rir mais do que qualquer Pânico ou CQC que me apareça em frente. 

Bolaños em entrevista ao Programa do Ratinho / Foto: Divulgação - SBT

Bolaños em entrevista ao Programa do Ratinho / Foto: Divulgação – SBT

Assim, “sem querer querendo”, o menino pobre que se escondia no barril de uma vila humilde invadiu o coração de milhões de fãs, especialmente os brasileiros, que de fato, não contavam com a astúcia de seu criador, Chespirito, abusando do simples e do cotidiano para arrancar risadas de multidões. Em nosso país, meu pai de 76 anos e minha sobrinha de 9 gargalham com a ingenuidade do garoto. Gente do Oiapoque ao Chuí, brancos, negros, amarelos, vermelhos, de todas as classes fazem parte do público que assiste Chaves há incríveis três décadas transmitido pelo SBT.

O concurso de Miss Universo pela televisão / Foto: Divulgação - Televisa

O concurso de Miss Universo pela televisão / Foto: Divulgação – Televisa

A gente sabia que isso acontecer, mas, mesmo assim, dói. Dói tanto quanto a morte de gênios do humor, como Ronald Golias, Nair Belo, Rogério Cardoso e outros que deixaram o mundo mais triste, e, consequentemente, o Céu mais alegre. Ele partiu e agora ao lado do seu mentor, Seu Madruga, do carteiro Jaiminho, da bru…digo, a Dona Clotilde e do menino Godinez farão do Lar do Nosso Pai uma vila cheia de graças e palhaçadas, nos deixando a melhor herança que poderia deixar: seus personagens. E nós aqui, com tantos “pipipipipipi”, chorando, contudo ao mesmo tempo, rindo com os diários episódios assistidos milhares de vezes, incansavelmente como se fosse a primeira sabendo que nos “despedimos sem dizer adeus jamais”.

Chespirito agradeceu o Brasil em agosto pelo Twitter/ Foto: Reprodução - Twitter

Chespirito agradeceu o Brasil em agosto pelo Twitter/ Foto: Reprodução – Twitter

 

@LucasCanosa

 

Foto: Reprodução Globo

Foto: Reprodução Globo

* O Brasil não é muito melhor que ninguém, e ninguém é bobo no futebol hoje em dia. Portanto, dificilmente existirão jogos fáceis.

* Estão jogando com raça, que compensa a falta de técnica, bem a cara do Felipão. Estão de parabéns!

* Não acho feio brasileiro torcer ou mostrar simpatia por outras seleções, que têm ascendência. Nosso país é constituído por diversas culturas. É normal. Contudo, colocar camisa e torcer pela Argentina é heresia. Jamais fariam o mesmo por você. E se tu for pra lá, será chamado de macaco, no sentido pejorativo.

* O Gol de Huck foi bem anulado. Ora, é só fazer uma comparação: Se ele não tivesse o braço, dominaria a bola? Não tem nem o que discutir.

* Julio César adiantou mais que o Rogério no primeiro pênalti. Mas juiz nenhum apita.

* Lamentável a torcida vaiar na hora do hino rival. Feio, muito feio.

* O David Luiz é o melhor zagueiro do mundo.

* Ninguém aguenta mais o Galvão Bueno. Chato, parcial e mandão. Torcida nenhuma deve superar o jornalismo e a forma correta de conduzir uma transmissão e falar a verdade ao espectador.

* O que tem de gente que não sabe nem o que é impedimento discutindo bravamente lances ocasionais, não é brincadeira. KKKKKKKKKKK

* A Copa não foi comprada. Jamais seleções como Itália, Alemanha e Argentina, por exemplo, se venderiam para nós. Acordem!

* Felipão: Tire o Daniel Alves!